BNDES diz que emprestou em 14 dias R$ 66 milhões para financiar salários de 3.770 empresas

Dinheiro é parte da linha de crédito de R$ 40 bilhões anunciada pelo governo para financiar pagamento de salários de pequenas e médias empresas durante a crise do coronavírus.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Dinheiro é parte da linha de crédito de R$ 40 bilhões anunciada pelo governo para financiar pagamento de salários de pequenas e médias empresas durante a crise do coronavírus.

Dos R$ 40 bilhões da linha de crédito anunciada no final de março pelo governo federal para financiar salários de pequenas e médias empresas durante a crise do coronavírus, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) informou nesta quarta-feira (22) que aprovou R$ 66 milhões em empréstimos para 3.770 empresas.

O balanço do BNDES compreende os empréstimos aprovados até segunda-feira (20). Na média, o valor dos empréstimos concedidos é de R$ 17,5 mil por empresa.

De acordo com o BNDES, os R$ 66 milhões estão distribuídos entre empresas dos seguintes setores:

  • Comércio e Serviços (77%)
  • Indústria de transformação (22%)
  • Agropecuária e pesca + Indústria extrativa (1%)

O programa de financiamento de salários entrou em vigor no último dia 6 e se destina somente a pequenas e médias empresas, com faturamento anual entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões. Quando foi anunciado, no último dia 27, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou que o programa beneficiaria 1,4 milhão de pequenas e médias empresas, com cerca de 12,2 milhões de funcionários.

O dinheiro pode financiar, no máximo, dois salários mínimos por trabalhador. Isso significa que, quem já tem remuneração de até dois salários mínimos (R$ 2.090), continuará a ter o mesmo rendimento. Entretanto, para os funcionários que ganham acima disso, o financiamento ficará limitado aos dois mínimos.

No caso de um funcionário que ganhe, por exemplo, R$ 5 mil por mês, vai ficar a critério da empresa complementar o valor acima de dois salários mínimos.

O programa prevê ainda carência de seis meses para que a empresas comece a pagar o empréstimo, que terá juros de 3,75%.

Como contrapartida, as empresas que contratarem essa linha de crédito não poderão demitir funcionários pelo período de dois meses.

O BNDES avalia que a procura das empresas pela linha de crédito deve aumentar nos próximos dias, com a aproximação da data de pagamento dos salários.

“É importante ressaltar que o pagamento da folha se dará a partir do dia 5, e as empresas podem solicitar o crédito do salário de abril até o dia 4 de maio”, informou BNDES em nota.

G1 - Abrir Empresa Simples

Fonte: G1

Fonte: G1

Insira seu e-mail para receber nossos artigos

Alerta sobre DECORE

Conforme amplamente divulgado pelo Conselho Federal de Contabilidade, quadrilhas especializadas tem oferecido crédito e indicando uma pessoa que supostamente trabalha em uma contabilidade para emitir a DECORE. O Grupo Attentive alerta que não fornece DECORE a não clientes e adverte que ninguém está autorizado a oferecer ou fornecer tal declaração em nome do grupo, não se
responsabilizando por qualquer prejuízo. Em caso de
dúvida, solicitamos que entre em contato conosco
por nossos canais oficiais de atendimento.